Saturday, January 24, 2015

Entheogen's 'Moons of Jupiter'


A fusão de estilos musicais diferentes é cada vez mais usual. Esta não é a primeira vez, este ano, que me aparecem junções de bandas e géneros. Naquilo a que me parece um movimento em rápida a ascensão, com a tentativa de fazer nascer novas “bombas” sonoras, bandas como os Entheogen optam pela mistura de diferentes tipos de metal. Isto resulta no aparecimento de subgéneros alternativos, que podem potencialmente contribuir de forma positiva para o heavy metal. Abrem-se novos caminhos para os apreciadores da música pesada, que passam a ter mais por onde escolher. Assim evolui e cresce a comunidade extrema dos metalheads.

Os Entheogen são uma espécie de Big Bang à espera de libertar toda a energia concentrada no seu núcleo. Imaginemos que no centro de um concentrado de energia, existem duas vertentes distintas, mas com o mesmo barulhento propósito. Por um lado, temos o stoner rock do grupo MG Pistol Rock e por outro lado, temos o math/post rock da banda Imakandi. A densidade destes dois estilos é tal que se libertam num concentrado homogéneo de math/sludge com toques de post e stoner rock. Esse Big Bang começou a formar-se em 2009, o ano da fusão das bandas, e depois de quatro anos de recolha de energia, implodiu e deu origem ao albúm de estreia ‘Moons of Jupiter’.

‘Moons of Jupiter’ é um albúm temático dedicado à missão STS-34 – A nave Galileo foi lançada para o gigante gasoso em 1989. A música representa uma tentativa sonora de ode a essa missão, sendo por isso diferente de fase a fase. As bases permanecem no instrumental do math/sludge com influências de bandas como Neurosis, Meshuggah, Pelican, Alice in Chains e outras do género. Lançado em 2013, o trabalho recebeu bom feedback da crítica.

O albúm contém 7 faixas alusivas a diferentes etapas da missão. A viagem por um “espaço musical” começa pela ‘Venus’, uma música mais sludge. A ‘String of pearls’ é a segunda etapa da missão; esta faixa tem uma onda mais psicadélica e atmosférica. O ouvinte chega finalmente a ‘Jupiter’, a terceira faixa. Com esta já entramos num ritmo mais frenético e desafiante ao headbang… Um rock stoner potente, mas sempre com o math bem presente nas melodias. ‘Io’ é a quarta batida e a banda continua a levar-nos numa viagem pelo espaço remoto, através de melodias bem construídas. Com a ‘Europa’, a quinta faixa, encontramos uma variação de ambientes sonoros e um estilo quase progressivo. A ‘Ganymede’, uma das luas de Jupiter, destaca-se pelas diferentes componentes da música dos Entheogen estarem todas presentes. Por fim e para acabar esta experiência musical, vem a música ‘Callisto’. Mais uma vez somos levados num estilo que varia entre heavy e clean.


De forma geral o albúm ‘Moons of Jupiter’ é agradável de se ouvir e explora uma temática interessante que não é muito comum no metal. Se quiserem explorar umas melodias alusivas a planetas, cometas, luas e missões espaciais, este é o tipo de som ideal.


One melee with the words, ideas and its paradoxes... albuns that are news, the reviews at "HeavyHardMetalmania.net", always with its watermark,  Pedro Ribeiro, with love for beer... sorry, music from an early age, he studied piano and singing from 7 to 14 years,  then, devoted himself to the study of the guitar for 5 years. "The wisdom is found in the extremes, all extreme Metal here!"

01 - Venus
02 - String of Pearls
03 - Jupiter
04 - Io
05 - Europa
06 - Ganymede
07 - Callisto